FACETAS!
Somos únicos.
Somos múltiplos.

By Moacir Rauber
Skip to main content

O que você aprendeu hoje?

Quando criança, quase todos os dias ao retornar da aula minha mãe perguntava aos meus irmãos e a mim:

– O que vocês aprenderam hoje?

E lá estávamos nós relembrando o dia na escola para contar em casa qual tinha sido o aprendizado do dia. Era um processo de consolidação do conhecimento. Muitas vezes, quando nos tornamos adultos, acabamos por perder o hábito de revisitar o dia para lembrar o que aprendemos e, com isso, não exploramos todo o nosso potencial. Entende-se que potencial é tudo aquilo que alguém acredita que possa fazer e talento é o ato de explorar isso de forma que resulte em benefício próprio e dos outros. Não explorar as potencialidades termina por ser um desperdício de talento e um entrave para a melhoria do mundo. E o que tem a ver gratidão com esse pensamento? No meu entendimento tem tudo a ver.

A neurociência tem incentivado a que as pessoas façam a sua lista de coisas boas ocorridas no dia para exercer a gratidão. No artigo “Gratidão: quais foram as tuas ações?” desafio as pessoas a também se preocuparem em fazer coisas boas para os outros para que os outros possam ser gratos pela tua existência. E aqui, ao perguntar, “O que você aprendeu hoje?”, a ideia é que ao aprender com as coisas boas que faço e que recebo, assim como com aquelas não tão boas que faço e que recebo, posso orientar o aprendizado para melhorar ainda mais como pessoa. Penso que também posso ser grato por isso. Talvez, a opção pelo aprendizado é que vai permitir que eu possa exibir cada vez mais atitudes melhores. Resultado? Um mundo melhor.

E é bíblico. Cada um é responsável pelas dádivas recebidas. A parábola contada por Jesus sobre o patrão que vai se ausentar e deixa aos cuidados de seus empregados dez moedas de ouro para cada um é um exemplo. Um deles gastou tudo em festas, desperdiçou as moedas. O outro enterrou as moedas para ter a garantia de que poderia devolvê-las no retorno do patrão. E o terceiro trabalhou com as moedas de ouro, fazendo com que elas dessem retorno. Cada um de nós recebe as suas moedas naturalmente por meio das potencialidades. Qual é o seu potencial individual? Viver sem se responsabilizar por nada é desperdiçar o potencial. Esconder-se para não arriscar nada é desperdiçar o potencial. Aprender para transformar todo o potencial em talento, colocando-o a serviço de si mesmo e dos outros, é valorizar as moedas e é ser grato pelas dádivas recebidas. Assim, entendo que a vida seja a mais especial das dádivas, por isso, seja grato pelo privilégio de estar vivo, agradeça. A capacidade de aprender é outra dádiva importante, por isso, seja grato pela capacidade de aprender, aprenda. Criar um mundo melhor é a responsabilidade pelas dádivas da vida e da capacidade de aprender recebidas, por isso, seja grato, faça algo que contribua para um mundo melhor.

Ao final, acredito que muito mais do que a lista de gratidão pelas coisas boas recebidas e da lista de coisas boas realizadas num dia é indispensável que se faça uma lista das coisas aprendidas e das coisas por aprender. Mantendo isso em mente e em movimento é que a gratidão deixará de ser um gesto ou uma emoção passiva para realmente fazer a diferença na própria vida e na vida dos outros. A gratidão exige atitude de ser grato ativamente pelas dádivas recebidas. Enfim, lembre-se que o nosso espírito é de uma criança ávida por aprender e fazer a diferença no mundo.

Fonte da imagem: http://menteemharmonia.com/aprendizado-e-experiencia/

Quais as coisas boas que lhe aconteceram hoje?

Quais as boas ações que você fez hoje?

O que você aprendeu hoje?

E amanhã, o que você vai fazer com aquilo que aprendeu hoje?

Moacir Rauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: [email protected]

Home: www.olhemaisumavez.com.br

Excelência é Ser Feliz!

A FELICIDADE DEVE SER AGORA!

Nós não temos passado.

Nós não temos futuro.

Nós somente temos o presente.

Nós apenas temos o agora.

Por isso, seja respeitoso agora.

Seja aprendiz agora.

Esteja alegre agora.

Seja corajoso agora.

Tenha esperança agora.

Seja bondoso agora.

Seja amável agora.

Seja grato agora.

Esteja em paz agora.

Seja honesto agora.

Seja leal agora.

Seja confiável agora.

Seja fiel agora.

Tenha domínio próprio agora.

Seja educado agora.

Seja sensível agora.

Seja resiliente agora.

Seja persistente agora.

Seja competente agora.

Tenha um propósito agora.

Seja feliz agora porque nós somente temos o presente.

Apenas o presente é eterno.

Apenas o agora se perpetua.

Somente o presente você tem agora.

Somente agora você tem o presente.

Agora e sempre.

Seja excelente agora para que você possa ser feliz no presente, sempre!

 

A palestra finalmente acabou

Frases do livro Ladrão de si mesmo. Veja mais informações sobre o lançamento aqui…

O primeiro beneficiário de quem aprende é aquele que aprende. Com o aprendizado, vem o conhecimento. Com o conhecimento deve vir a sabedoria. Com sabedoria teremos indivíduos melhores, organizações mais eficientes e uma sociedade mais justa.
Fim do show
Um prêmio pessoal não indica uma conquista individual. Nada faz sentido isoladamente. Todas as ações repercutem individual e coletivamente. As pessoas somente se realizam com outras pessoas. Não há nada fora da natureza que não seja feito pelas pessoas e para as pessoas.

Você quer ensinar?Você está disposto a aprender?

– Não, não dá. Essa tecnologia toda, internet pra lá e pra cá. Eu não uso e não quero saber. Outro dia vieram com um tal de “tablete” pra mim. Eu falei que não quero! Quero dar a aula e pronto… E continuou discorrendo sobre a sua revolta com o atual mundo da tecnologia.
Ouvia a conversa sem interferir, entretanto me perguntava, E pode ser um professor? Questionava-me, porque, em minha opinião, alguém que quer ensinar também deve estar disposto a aprender, exerça a profissão que exercer.
O surgimento de novos aplicativos tecnológicos para usos em áreas tão diferentes como a saúde, a comunicação, a educação e o lazer é uma realidade objetiva que não está mais ao alcance de um ou outro indivíduo negar. Não está mais no controle do professor que fez o seu desabafo, do aluno, do empreendedor, do meu ou do seu dizer que não existe ou discordar. A tecnologia vai continuar no ritmo de desenvolvimento determinado pelas pessoas que a usam e que são a grande maioria. O que está no controle de cada um é como vai se relacionar com ela. Muitos ainda dizem, É, as pessoas não têm noção. Exageram. Fazem fotos no velório para postar… É verdade. Mas bom senso não é questão da tecnologia. A falta de noção sempre existiu e vai continuar existindo, dependendo exclusivamente das pessoas. Por isso, entender, conhecer, saber, diferenciar, escolher e disciplinar o uso da tecnologia depende de cada um, assim como manter a mente aberta para a aprendizagem.
A resistência à aprendizagem nada tem a ver com o surgimento da tecnologia, isso é um movimento de oposição de indivíduos que querem que tudo se mantenha como está. Para muitos, aprender dá trabalho e estes ficarão perdidos transformando-se rapidamente em analfabetos funcionais. Melhor qualidade de vida terão aqueles que acreditarem que aprender é um prazer, entre eles professores, alunos e empreendedores.
No meu ponto de vista, aqueles que pretendem atuar como instrutores, professores, consultores ou outras profissões que trabalham com a formação de pessoas, assim como aqueles que se identificam como empreendedores deveriam ser os primeiros no processo de disponibilidade para a aprendizagem. Não quer dizer sair por aí se enchendo de penduricalhos tecnológicos, mas sim saber do potencial e do uso da tecnologia para poder se beneficiar dela, abrindo-se para a sua intuitividade. Com isso se pode melhorar o mundo. Não roube de si nem dos outros a possibilidade de viver melhor pelo uso da tecnologia.
Você quer ensinar? Sim. Então o “sim” deveria ser uma obrigação quando confrontado com a pergunta: você está disposto a aprender? Eric Hoffer, falecido em 1983, já dizia, “Em tempos de mudança, os aprendizes sobreviverão, enquanto aqueles que acham que sabem muito estarão preparados para um mundo que já não existe.”Pensando nisso, um aprendiz pode ser professor, mas um professor, obrigatoriamente, deve ser um aprendiz, seja na profissão que for. Não roube de si o direito de aprender sempre, porque um aprendiz pode ser o que quiser…

Abordagem subjacente no livro Ladrão de si mesmo

Moacir Rauber