FACETAS!
Somos únicos.
Somos múltiplos.

By Moacir Rauber
Skip to main content

Em 2018 não seja o jabuti no poste!

O rapaz caminhava pela rua quando se depara com um jabuti no alto de um poste. Ele passa a observá-lo e pensa: o que um jabuti está fazendo no alto de um poste? Como ele chegou até lá? Sempre que ouço a piada, involuntariamente, esboço um sorriso. Ao se levar a analogia para o meio político ela está repleta de exemplos, pois são muitos aqueles políticos que não se sabe como chegaram onde estão e, principalmente, o que eles fazem onde estão. São os jabutis no poste. Na gestão pública, os ditos cargos de confiança acolhem tantas pessoas em funções sem que se tenha noção de como lá chegaram e o que fazem lá. São os jabutis no poste. No meio organizacional privado também são encontradas pessoas em posições que muitas vezes não se tem ideia de como lá chegaram e o que fazem lá. Talvez em menor número, mas são os jabutis no poste. Porém, sabe-se muito bem que nenhum jabuti sobe num poste sozinho. Ele precisa da ajuda de alguém para lá chegar. Da mesma forma, no nosso modelo social ninguém chega ou vai a algum lugar sozinho, porque não há função ou posição que tenha sentido isoladamente. Onde quer que alguém esteja ou aonde quer que alguém vá é obrigatória a participação de outras pessoas para lá chegar e lá se manter. Por isso, desejo que em 2018 você esteja onde deseja estar, mas que não seja um jabuti no alto de um poste. Como não ser o jabuti no alto do poste?

Entendo que o jabuti no alto do poste desfrute de uma visão privilegiada e é o que espero que cada um possa fazer em sua vida. Porém, acredito que uma pessoa que se compare a um jabuti não consiga usufruir tranquilamente dos benefícios dessa posição. Para aproveitar a oportunidade de estar numa posição excepcional é preciso não ser um jabuti e reconhecer a participação dos outros nessa empreitada. Desse modo, para não ser o jabuti no poste se pergunte: (1) como cheguei até aqui? Ao responder essa pergunta você verá quantas pessoas o ajudaram a chegar onde você está. Assim, pergunte-se também: onde estão as pessoas que me ajudaram a chegar até aqui e por que elas não estão comigo? Saiba que se as pessoas que o ajudaram a chegar na sua posição forem reconhecidas elas o ajudarão a permanecer onde você está. Portanto, contribua para que elas também possam desfrutar de excelentes posições, ainda que não seja ao seu lado. Depois, observe novamente a sua posição e se pergunte: (2) o que estou fazendo aqui e quais são os benefícios para os outros pelo fato de eu estar onde estou? Saiba que você somente poderá permanecer e usufruir tranquilamente da sua posição se os benefícios proporcionados aos outros forem maiores do que o custo para lá estar. Ao responder a pergunta, espero que esteja claro que a sua posição contribui para que os outros também possam ter uma visão excepcional daquilo que querem olhar.

Enfim, desejo que em 2018 você possa estar onde você quiser estar. Aproveite, desfrute e contribua para que as outras pessoas também possam fazê-lo. Não seja um jabuti no alto de um poste. Dessa forma, desejo que você seja excepcional naquilo que você dá de retorno para aqueles que o ajudaram a chegar no lugar onde você está. Dê sentido àquilo que você faz que você sempre estará no lugar que deseja estar. Há lugar para todos!

Que em 2018 você esteja onde quiser estar!

Moacir Rauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: mjrauber@gmail.com

Home: www.olhemaisumavez.com.br

Excelência é Ser Feliz!

A FELICIDADE DEVE SER AGORA!

Nós não temos passado.

Nós não temos futuro.

Nós somente temos o presente.

Nós apenas temos o agora.

Por isso, seja respeitoso agora.

Seja aprendiz agora.

Esteja alegre agora.

Seja corajoso agora.

Tenha esperança agora.

Seja bondoso agora.

Seja amável agora.

Seja grato agora.

Esteja em paz agora.

Seja honesto agora.

Seja leal agora.

Seja confiável agora.

Seja fiel agora.

Tenha domínio próprio agora.

Seja educado agora.

Seja sensível agora.

Seja resiliente agora.

Seja persistente agora.

Seja competente agora.

Tenha um propósito agora.

Seja feliz agora porque nós somente temos o presente.

Apenas o presente é eterno.

Apenas o agora se perpetua.

Somente o presente você tem agora.

Somente agora você tem o presente.

Agora e sempre.

Seja excelente agora para que você possa ser feliz no presente, sempre!

 

Ano Novo é tempo de gratidão!

Gratidão é uma das palavras mais usadas na atualidade e ela é empregada com ainda mais intensidade quando um ano se finaliza e um novo ano começa. As pessoas estão naturalmente mais sensíveis e emotivas. Chegar ao final do ano velho e iniciar o ano novo nos leva a ser gratos e a agradecer ao lembrar que tantos que imaginavam estar aqui não o conseguiram. É um bom motivo para realmente nos sentirmos assim. As manifestações de gratidão são visíveis nos encontros, nos abraços e nas redes sociais. Mas o que significa realmente ser grato? O que é agradecer de verdade? Com o que se compromete aquele que fala “Muito obrigado”? Nessas perguntas está aquilo que quero destacar: gratidão não é só emoção. Gratidão é ação.

O desafio para 2017, ou mesmo agora, é vencer a inércia da emoção presente nas palavras de gratidão e partir para a ação. Ao abrir o navegador em qualquer uma das redes sociais logo se veem mensagens realmente tocantes e que emocionam quem as lê de alguém que se sente grato por algo. É comum ler uma mensagem como, “Muito obrigado por sempre me apoiar e estar ao meu lado quando eu preciso”. Ou outra, “Sou imensamente grato a todos que me estenderam a mão na minha caminhada de sucesso”. Ou então, Muitas coisas bonitas não podem ser vistas ou tocadas, elas são sentidas dentro do coração. O que você fez por mim é uma delas e eu agradeço do fundo do coração. Obrigado! As mensagens são lindas! Acredito realmente que é muito bom que as pessoas expressem esse sentimento que de alguma forma chega àquele que fez algo para que o outro se sentisse grato. Porém, apesar de não ser uma moeda de troca, quando se diz “Obrigado” ou “Muito obrigado” a língua portuguesa nos leva um pouco além da emoção de se sentir grato, ainda que seja do fundo do coração. O “Obrigado” nos compromete com alguma ação efetiva para com aquele que nos levou a pronunciá-lo. O agradecimento da língua portuguesa é de um comprometimento não presente nos agradecimentos dos outros idiomas. Quando se fala “thank” ou “danke” nas línguas inglesa ou alemã o agradecimento permanece no nível da razão. Quando se fala “gracias” ou “grazie” em espanhol ou italiano louva-se o fato. Porém, quando se fala “Muito obrigado” na língua portuguesa a gratidão extrapola o mundo das ideias e do louvor para se comprometer com uma ação real e efetiva em favor daquele que te fez algo que o motivasse a gratidão por ele. O que você vai realmente fazer para atender o “Muito obrigado” que você disse?

A língua portuguesa tem nos alertado e nos cobrado um posicionamento mais efetivo desde muito tempo. O ano termina e um novo ano começa e que seja agora a hora de fazermos algo de fato. Sejamos gratos. Distribuamos abraços. Expressemos nossos bons sentimentos para com nossos familiares e amigos. Porém, o grande desafio será o de lembrar de que ao dizer “Muito obrigado” nós estamos nos comprometendo com uma ação. Temos que ser gratos, mas quais as ações que resultarão dessa gratidão? O que eu vou fazer agora e em 2017 para demonstrar que realmente agradeço? A gratidão é realmente um dos sentimentos e uma das emoções mais sublimes do ser humano, mas ela só faz sentido quando vier acompanhada de uma ação de fato. Assim, 2017 é tempo de Ação!

Gratidão virtual e real…

A menina acordou, pegou o tablet ao seu lado e postou uma mensagem na rede social:
– Bom dia, meus amigos, gratidão por mais um dia!

­Saiu da cama, fez a rotina da higiene pessoal e, enquanto tomava o café, curtia as curtidas dos amigos na sua mensagem de gratidão. E ela estava feliz porque conseguia mostrar para os outros como é importante que se expresse a gratidão pelo que se tem. Terminou o seu café e se dirigiu para a universidade. Agora já estava atrasada e teria uma prova na primeira aula. Gastara mais tempo do que imaginara na rede social. Enquanto saía de um ônibus para pegar o outro trombou com uma senhora. A bolsa dela caiu. Ela não ligou. Continuou na sua pressa para pegar o seu ônibus. Afinal estava em cima da hora. Correu. Furou a fila, mas conseguiu entrar na frente de outras pessoas. Ufa! Ainda bem… Suspirou. Ela continuava grata.

Concordo que a gratidão é um dos sentimentos mais elevados que um ser humano pode manter. Porém, há uma diferença muito grande entre expressar gratidão e ser realmente grato. E cada idioma tem uma determinada expressão para representar o sentimento da gratidão. Segundo Santo Tomás de Aquino a gratidão se expressa em três níveis. O inglês e o alemão, por exemplo, mantêm-se no nível da razão, uma vez que thank e danke tem origem no pensamento em que reconhecem o benefício. Já o espanhol e o italiano avançam para o segundo nível da gratidão em que se reconhece e se louva o benefício ao usar as expressões gracias e grazie. Contudo, é no português que a palavra gratidão tem a sua representação mais profunda. Quando se agradece na língua portuguesa se diz obrigado ou muito obrigado. Ao usar essas expressões nós não só agradecemos como nos comprometemos a efetivamente fazer algo, a retribuir em algum momento a dádiva recebida. Isso realmente configura-se o compromisso de uma ação de gratidão. Particularmente acredito que é apenas nesse nível de gratidão que teremos a chance de modificar o mundo para melhor.

No exemplo acima, o tempo gasto para expressar a gratidão virtual foi motivo para uma pequena maldade real. Ajuntar a bolsa da senhora não seria nem exemplo de gratidão, seria apenas o mínimo para reparar um comportamento pouco educado. Infelizmente, vejo mais e mais apenas a gratidão virtual. Ela está na moda. Logicamente que é bom receber as mensagens de gratidão das redes sociais e a positividade presente nelas, mas não pode se esquecer de ser grato na vida que acontece no dia a dia. A verdadeira gratidão se dá nas ações resultantes do encontro com as pessoas.

Isso me lembra de outro exemplo. Uma mãe, quando via o seu filho de mau humor, perguntava, o que foi meu filho? Tá de mau humor hoje? Então porque você não sai e vai ajudar alguém? Tenho certeza que você vai se sentir melhor… E é fato. Nada melhor do que ajudar alguém para melhorar o próprio humor. Nada mais efetivo para se ajudar do que ajudar aos outros. Isso é gratidão.


Qual a ação de gratidão real que você já fez hoje?
http://www.opregadorfiel.com.br/2014/07/como-receber-mais-de-deus.html