A diferença de idade

As diferenças de idade entre casais não são exclusividade dos dias de hoje. Em todos os momentos da história da humanidade e praticamente em todos os grupos sociais esse fato sempre se repete. Vi, recentemente, um ator brasileiro que está mantendo um relacionamento com uma mulher 53 anos mais jovem… Também conheci uma senhora com 69 anos, idade bem sugestiva, que levava a tiracolo seu jovem namorado de 20 anos para todos os lados. Em ambos os casos a primeira impressão é de que são os respectivos avós acompanhados pelos seus netos ou filhos. Mas o amor não tem idade! O amor não tem preço. Para os demais casos pode até ter um master card…

Esses comentários me remetem a outra situação vivida pela Andreia e por mim, também em Portugal. Nos dois anos que por lá vivemos estudei na mesma universidade em que minha esposa trabalhava. Íamos, na maioria da vezes, de ônibus, que oferecia excelentes condições de acessibilidade para pessoas com deficiência, meu caso cadeirante, idosos ou mulheres com carrinhos de bebê. Era muito prático e econômico o deslocamento de ônibus de casa até a universidade. Quando podíamos, íamos e voltávamos juntos. A Andreia, normalmente, dava-me uma forcinha para subir a rampa do ônibus. Entretanto, nossos horários nem sempre coincidiam. Quando ela não estava o motorista tinha que descer para empurrar-me rampa acima. Ele já nos conhecia. Sempre era atencioso e simpático. Certo dia, porém, em que eu não fui para a universidade a Andreia foi sozinha. Embarcou normalmente no ônibus. Na hora da saída, o motorista a cumprimentou como de costume e perguntou: Ah, o teu pai não veio hoje? Nesta hora a Andreia ficou um pouco desnorteada e ele continuou,  aquele senhor em cadeira de rodas não é teu pai? Ficando um pouco ruborizado, cor que se fortaleceu quando a Andreia lhe respondeu, Não, ele é meu marido… E comento-lhes que a diferença de idade entre nós é aproximadamente de 11 anos. Mas nas cabeças de muitas pessoas um cadeirante acompanhado por uma mulher mais jovem e bonita somente pode ser filha, uma irmã ou no máximo uma amiga bondosa.

Olha, mas no nosso caso,  acredito que seja amor, porque o Master Card tá sempre sem saldo…

Publicado por

Moacir Rauber

Moacir Rauber acredita que tem "MUITAS RAZÕES PARA VIVER BEM!" porque "MELANCOLIA NÃO DÁ IBOPE". Também considera que a "DISCIPLINA É A LIBERDADE" que lhe permite fazer escolhas conscientes, levando-o a viver de forma a "QUE POSSA COMPARTILHAR TUDO COM OS PAIS E QUE TENHA ORGULHO DE CONTAR PARA OS FILHOS".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *