Indiada

Para quem mora na região sul a palavra “indiada” tem um sentido muito particular, pois trata-se de uma aventura, uma andança ou uma proeza. E no último domingo nós fizemos uma verdadeira indiada…

Com quantas remadas se faz uma indiada? Olha, isso eu não sei, mas que entre quatro amigos se pode fazer isso é certo. Foi o que fizemos no último domingo num passeio de 34 quilômetros pelo Arroio Pelotas. 

Antônio, ciclista, remador, um Prof. Pardal com seus 58 anos.
Oguener, técnico de remo e um apaixonado pelo esporte e por “otras cositas más” com seus 30 anos.
Wagner, 17 anos, muita curiosidade e sempre disposto a encarar um aventura mais.
Moacir, um usuário de cadeira de rodas, 45 anos, sempre disposto a continuar conhecendo as maravilhas do mundo.
Começamos cedo, num domingo com muita neblina, mas com previsão para um dia maravilhoso.

Previsão confirmada!!!
Começamos de madrugada…
O Antônio garantiu a iluminação!
Arrumando uma mochila para levar na “indiada”…
O Oguener preparando a “máquina”…
Pegando a “estrada” às 7h…
A neblina dava um toque de beleza invernal!!!
O Antônio cruzando sob a ponte do Arroio Pelotas
Oguener aproveitando a paisagem…
As tão faladas Charqueadas de Pelotas!
Para não dizer que ninguém nos viu…
Lindas fotos!
Obra de arte do fotógrafo Wagner…

Outra foto maravilhosa daquilo que vimos

Chamaram-me de “caracol”. Não sei por que…
Qualquer semelhança é mera coincidência…

Remadas…

… e paisagens…

… de tirar o fôlego!

A cada curva… Lá vão os remadores!

Tá aí o fotógrafo da primeira parte da jornada…

É o “cabeça de Wagner”

Um foto com o sobrinho!

Quem vê até pensa que sabe remar…
Mas o bom é que sabe mesmo!!!

Lá vai o “Gary”!!!

Os barcos atracados para o almoço!
E assim fizemos nossos 34km de passeio pelo Arroio Pelotas!
Daqui mais alguns dias tem mais…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *