Mas ele é cego…

Moacir Rauber
Sempre trabalho com a ideia de que se olhe mais uma vez para todas as situações com a pretensão de ver nelas oportunidades. Todos os eventos em que nos envolvemos, fortuitos ou não, com graves ou suaves consequências oferecem as mais variadas oportunidades, no meu ponto de vista. Nunca disse que as situações são sempre fáceis… Outro dia, enquanto apresentava essa ideia, um rapaz me interrompeu e disse:

– Moacir, não sei não se eu concordo muito com isso… Eu tenho um amigo cego, daí me pergunto: como ele vai olhar mais uma vez? Ele não vê nada…

Fiquei um pouco atordoado com a pergunta, não pela sua dificuldade, mas pelo ar provocativo com que foi feita. Respirei, calei os pensamentos agressivos que me vieram a cabeça e respondi:

– Muito bem, eu tenho que concordar contigo. Realmente um cego não consegue olhar nem uma vez no sentido literal da palavra. Mas o sentido de olhar não se limita a capacidade dos olhos de traduzir em imagens aquilo que está a nossa frente. Olhar mais uma vez é muito mais do que isso. Quando você leva o carro para a mecânica e pede para que o olhem certamente não é para que fiquem encarando o veículo. Quando alguém faz um check up médico e diz que deu uma olhada na saúde também não tem o sentido de ver, mas sim de analisar, examinar, investigar e observar a situação para a partir dela fazer um diagnóstico que lhe permita tomar as ações adequadas, não é isso? É esse o conceito que  está por trás da expressão Olhe mais uma vez! Em cada situação novas oportunidades. Essa ideia está descrita no final do livro em que digo:  

“É importante viver sabendo que podemos falar sem proferir palavras; que podemos ouvir sem escutar os sons; que podemos ver sem as imagens; que podemos caminhar sem mover as pernas; enfim, que podemos aprender a aprender mantendo a mente aberta e em sintonia com o mundo percebendo as oportunidades que nos rodeiam.”

Muitas vezes não se sabe quem são os cegos, os surdos e os paraplégicos entre nós. Isso depende de cada um e da amplitude das suas ideias!

Como anda a sua visão? 

Como está a sua audição? 

E a sua mobilidade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *