Paro tudo!

A área de Recursos Humanos ou, como querem muitos, de Gestão de Pessoas (falta muito…) é abundante em situações difíceis. São os contratos temporários que estão tomando conta de grande parte das relações de trabalho que terminam por nem serem relações. Não que eu seja contra contratar pessoas para desenvolver um determinado projeto com data de término de vínculo estipulada. Não é isso. Sou contra a forma como se dá a relação com as pessoas que “supostamente” não trabalham para a empresa. O comportamento demonstrado pelos que são “efetivos” (como se fosse possível) com relação àqueles que tem contrato por prazo determinado é mesquinho. Tratam-nos como cidadãos de segunda classe. E por aí vão as situações difíceis… Mas a área também pode ser divertida. E fazer entrevistas de seleção é uma delas.

Sabe-se que as pessoas que estão se candidatando a uma vaga, normalmente, ficam ansiosas e querem mostrar o seu melhor. Geralmente são muitos candidatos para poucas vagas. Aquele que tem a responsabilidade de fazer a entrevista deve ter a clara noção disso e lembrar que a situação poderia ser inversa. O fato de você estar hoje entrevistando e não sendo entrevistado é simplesmente circunstancial.

Mas nem por isso deixam de aparecer algumas situações motivo de riso.

A candidata entrou e cumprimentou o entrevistador, sentando-se no lugar indicado. A vaga exigia um alto nível de qualificação, uma vez que era numa empresa de tecnologia para desenvolver um produto inovador. A entrevista abordou aspectos técnicos daquilo que ela teria que desenvolver. A candidata realmente era muito boa. Conhecia muito mais do que se esperava que conhecesse sobre a área. Mas conhecimentos técnicos tão somente não bastam. Precisa-se de algumas competências de comportamento humano, a resiliência, por exemplo. Como a pessoa se comporta em situação de stress? Qual o comportamento quando existe muita pressão por resultados, prazos e produtividade? 

Depois de comentar sobre algumas típicas situações ocorridas na empresa o entrevistador fez a pergunta: Como você reage frente a um situação de muita pressão num ambiente stressante? A entrevistada abriu bem os olhos e disse com a maior naturalidade: Eu paro tudo, saio correndo, dou um grito e volto…

Ela foi contratada! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *