Cuidado com o pato!!!

Cuidado com o pato!!!
Três amigos morrem num acidente e vão para o céu. Lá chegando São Pedro lhes diz:
– Temos somente uma regra aqui. Não tropecem nos patos, certo?
Eles acharam a regra estranha… Entraram, olharam e ficaram espantados. Era impossível não tropeçar nos patos, porque eles estavam por todos os lados. Passados alguns instantes um dos três já tropeçou num. Logo apareceu São Pedro acompanhado por uma mulher muito, mas muito feia… Pegou-o pela mão e acorrentou-o a mulher, dizendo:
– Você será acorrentado a esta mulher pela eternidade como castigo por ter pisado num pato. E foi embora…
Os dois amigos observaram a cena estupefatos. Passaram a ter mais cuidado. Mas não teve jeito. Um pequeno descuido e o segundo amigo tropeçou noutro pato. Alguns instantes depois apareceu São Pedro com outra mulher tremendamente feia e os acorrentou pela eternidade. O último dos amigos estava em pânico. Não queria de jeito nenhum passar a eternidade acorrentado a uma mulher feia, assim como os seus amigos. Passou a ser extremamente cuidadoso. Quase não se movia. Passaram-se os dias, as semanas e os meses sem que ele tropeçasse num pato. Estava aliviado. De repente ele vê São Pedro se aproximando dele acompanhado pela mulher mais linda que ele já vira. Era loira, olhos azuis, alta e um corpo perfeito. Sem falar nada São Pedro a acorrentou a ele. O último dos três amigos se questionou:
– O que será que eu fiz para merecer ser acorrentado a você pela eternidade?
A mulher respondeu:
– Olha, quanto a você eu não sei, mas eu tropecei num pato…

O pato não é o problema. A nossa percepção de nós mesmos sem respeitar o outro pode ser um problema. Será que somos nós o tormento do outro? A benção de um pode ser o inferno do outro? Quem é a aflição de quem? Quem é a alegria de quem?

Uma certeza é que as percepções são individuais e diferentes…

Enfim, para se manter no céu não se pode pisar nos outros. Nem no pato…

Ah, não tem nada a ver com o Pato do Corinthians!




Extraída do livro: Plato and Platypus walk into a Bar… Understanding Philosophy – through jokes (Thomas Cathcart & Daniel Klein)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *