Skip to main content


Facetas!


Somos Únicos.
Somos Múltiplos.
By Moacir Rauber

De lado com Gabi…

A última semana foi especial. Um evento que havia sido organizado como palestra terminou como uma oficina com mais de duas horas de duração. Foi um grupo pequeno e notável. A interação foi boa. Os assuntos fluíram exatamente como a ideia principal: articular para fazer fluir. Ao término tive a sensação de que as pessoas haviam acrescentado algo nas suas vidas e eu, muito. Sempre acreditei que se aprende mais com aqueles que convivemos em ambientes de aprendizado do que, propriamente, com aqueles que se propõem a nos ensinar algo. Nesse dia, eu estava lá para ensinar, mas o aprendiz fui eu. Na viagem de retorno, encontrei uma pessoa que admiro por suas entrevistas inteligentes. Não quer dizer que eu concorde com todas as perguntas, abordagens e opiniões da apresentadora, mas a respeito pela autonomia de suas posições. Quase sempre, a imagem que faço das pessoas que somente vejo pela televisão me parece distorcida quando confrontada com a realidade. Não foi assim com Marília Gabriela. Para mim, ela realmente se parece com aquela mulher que vejo na TV. A voz nem se fala. Quando ela me cumprimentou ao sentar ao meu lado num trajeto de voo parecia que eu havia ligado a televisão. Ouvi-la sem eu estar em casa e ela na TV?
Incrível! Fiquei boquiaberto a viagem inteira.
Ao desembarcar desse voo fui direto ao hotel para me preparar para o próximo evento. Fiz o check-in e subi para o apartamento. O evento seria num auditório ao lado. Arrumei-me e desci. Ao sair do elevador e passar pelo saguão do hotel, vejo algumas pessoas entrando. Sou colorado desde sempre, por isso logo reconheci um grupo de torcedores do Internacional. Ôpa!, não eram torcedores. Eram os jogadores. Olhei mais uma vez e reconheci Juan, o zagueirão e Dida, o goleiro. Caramba, parecem tão normais em comparação com aqueles caras que vejo ou imagino no jogo… Ainda estava atordoado olhando meio de lado, mas segui em frente para a saída do hotel. Justamente na passagem da porta dei de cara com o Dalessandro. O craque do Inter!!! Um argentino guerreiro. Não desiste nunca! Eu saindo do hotel e ele entrando. Ficamos frente a frente. Uma pequena dúvida. Um impasse. Ele entraria ou eu sairia? Ele foi muito cortês, além de simpático, e deu-me a passagem. Passei rapidamente e desejei-lhe, Bom jogo!, pois sabia que jogariam logo mais no Beira-Rio. Ele, com aquele sotaque castelhano, respondeu¸ Obrigado!

Foi um dia diferente. Encontrei estrelas humanas, humildes e simpáticas. Quantos relatos que ouvimos de  encontros com estrelas humanas, arrogantes e antipáticas. Fiquei de lado com a Gabi e de frente com o Dalessandro e vi que somos todos iguais. Humildes ou arrogantes, simpáticos ou antipáticos depende do caráter de cada um, não da condição.

Moacir Rauber

Moacir Rauber acredita que tem "MUITAS RAZÕES PARA VIVER BEM!" porque "MELANCOLIA NÃO DÁ IBOPE". Também considera que a "DISCIPLINA É A LIBERDADE" que lhe permite fazer escolhas conscientes, levando-o a viver de forma a "QUE POSSA COMPARTILHAR TUDO COM OS PAIS E QUE TENHA ORGULHO DE CONTAR PARA OS FILHOS".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *