Intenções e ações: qual a diferença?

As intenções são gratuitas, colocá-las em ação tem um custo.

O sentimento de inspiração normalmente é reconfortante, uma vez que não tem custo nenhum em termos de gasto de energia para o cérebro. Porém, agir em conformidade com a inspiração é bem menos prazeroso porque envolve novos conhecimentos e custos adicionais. Além do que, nós tendemos a nos comportar como aprendizes enquanto pequenos e como repetidores depois que nos tornamos adultos. Como adultos preferimos transitar numa região na qual “dominamos” algo, por isso, os custos de implementar novas ações nos tiram o sentido de sermos sabedores e passamos a ser novatos. Ficamos inseguros. Assim, cabe a sua mente convencer ao seu cérebro de que o risco de se sentir um pouco desorientado e de gastar mais energia ao realizar uma nova atividade é em seu próprio benefício.

Por fim, criar expectativas por meio das intenções é fundamental para ajudá-lo a encontrar oportunidade de mudança. Caso saibas para onde está indo é muito mais fácil chegar lá. Contudo, lembre-se que passar da intenção para a ação tem um custo para o cérebro. Trate de convencê-lo para beneficiar-se da intenção posta em ação!

Por isso que se diz que de boas intenções o inferno está cheio. É fácil, não exige nenhum esforço.


Texto traduzido e adaptado de Bachrach, Estanislao (2014-09-01). EnCambio: Aprendé a modificar tu cerebro para cambiar tu vida y sentirte mejor (Spanish Edition). Penguin Random House Grupo Editorial Argentina. Kindle Edition.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *