Skip to main content


Facetas!


Somos Únicos.
Somos Múltiplos.
By Moacir Rauber

Carta de recomendação: serve para o amor?

A separação doeu para uma amiga minha, porque acreditava que mantinha um relacionamento estável e feliz dentro do que se espera de um casamento. Por isso, inicialmente se surpreendeu quando o marido, repentinamente, apresentou-lhe o pedido de divórcio. Logo depois se conformou ao saber que a sua rival tinha vinte e cinco anos a menos do que ela. Enfim, tudo isso não é novidade e tem acontecido cada vez com mais freqüência. O que é novo e inusitado foi o que lhe aconteceu há poucos dias. 
Ela reconstruiu uma rotina diferente daquela até então vivida em companhia de seu marido. Nos últimos anos, antes de ir para casa depois do trabalho, ela passa por um café no centro da cidade onde se encontra com alguns amigos para jogar conversa fora. Depois de 40 ou cinqüenta minutos já está descontraída o suficiente e vai para casa. Certo dia, ao sair do café, um homem muito bem vestido, abordou-a dizendo:
– Desculpe-me a audácia, mas faz meses que eu a vejo chegar, conversar com seus amigos e sair daqui sozinha. Sei que você está separada, por isso que tomei a liberdade de lhe falar. Gostaria de a convidar para sair comigo e quem sabe…
Ele suspendeu a conversa neste momento, muito provavelmente pela cara de espanto da minha amiga que tinha então seus 45 anos. Ela estava um pouco assustada pela abordagem repentina, assim como pela figura do homem que com ela conversava. Apesar de estar bem vestido, tratava-se de um homem com bem mais de oitenta anos, fisicamente alquebrado e com uma voz totalmente debilitada. 
Perante a surpresa de sua interlocutora o pretendente mudou o rumo da conversa, dizendo:
– Bem, mais uma vez me desculpe o modo repentino como falei contigo, mas trago aqui comigo uma carta de recomendação de minha ex-esposa para que você possa analisar…
Neste momento, mais do que rapidamente ela o dispensou seguindo o seu caminho. 
Lamentei profundamente foi o fato de ela não ter aceitado a carta de recomendação. Pergunto-me: o que poderia conter uma carta de recomendação de uma ex-esposa sobre o seu ex-companheiro? Alguém gostaria de arriscar algumas ideias sobre o que seria possível escrever?
Por essas e por outras que cada vez mais concordo com a afirmativa de um professor de filosofia que dizia, “Tudo o que você pensar ou imaginar, sobre qualquer assunto, certamente alguém, em alguma parte do planeta já o terá feito”.
Fonte da imagem: http://www.concatenasys.com/

Moacir Rauber

Moacir Rauber acredita que tem "MUITAS RAZÕES PARA VIVER BEM!" porque "MELANCOLIA NÃO DÁ IBOPE". Também considera que a "DISCIPLINA É A LIBERDADE" que lhe permite fazer escolhas conscientes, levando-o a viver de forma a "QUE POSSA COMPARTILHAR TUDO COM OS PAIS E QUE TENHA ORGULHO DE CONTAR PARA OS FILHOS".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *