Quem arranca a sua mandioca?

Na última semana me deparei com uma cena, hoje em dia, inusitada. Vi uma mulher com uma enxada na mão tentando arrancar um pé de mandioca. Deu uma enxadada e exclamou:

– Não vou conseguir. Não dá.

Fez um muxoxo e jogou a enxada de lado. Desistiu. Eu estava ao seu lado, mas era apenas um observador. Nisso, nós olhamos por sobre a cerca e vimos outra mulher, bem franzina, arrancando um, dois, três pés de mandioca um após o outro. Ela sequer usava uma enxada. Nós nos entreolhamos. Não precisamos nem falar, mas a pergunta que nos rondava a cabeça era:

– Como ela consegue?

Realmente parecia incrível como ela o fazia fazendo parecer tão fácil. Foi então que pensei que se ela consegue fazer é porque os outros também o podem fazer. E isso se aplica a tudo aquilo que o ser humano faz ou imagina ser possível fazer. Quando olhamos um mecânico desmontar e montar um motor nos parece incrível, mas é oportuno pensar que se é possível para ele também o seria para mim. Quando observamos um médico fazer uma cirurgia difícil também nos indagamos como ele consegue? Porém, deve-se lembrar de que se ele pode fazê-lo também eu o poderia fazer. Quando vemos um professor dando uma aula fantástica ficamos maravilhados. Contudo, mais uma vez é preciso se lembrar de que se ele pode dá-la eu também a poderei ministrar magistralmente. Quando vemos um engenheiro realizando cálculos complicadíssimos ficamos impressionados. Entretanto, é importante saber que se ele pode realizar tais cálculos também eu poderei realizá-los. Basta querer.

E então vem a pergunta: você realmente quer? O quanto você quer? São perguntas simples, mas que as pessoas não respondem. Infelizmente, há hoje uma grande maioria que observa o que os outros fazem e os invejam, mas não fazem nada para mudar a própria realidade. Esses conformados nunca vão arrancar a sua mandioca. Para eles o não fazer já está feito. É mais fácil se admirar das habilidades dos outros e nada fazer para melhorar as próprias. Para esses acomodados o não conseguir já está conseguido. É tão simples ter sempre tudo a mão e desistir frente às primeiras dificuldades. Para esses resignados o não realizar já está realizado. Para que investir o próprio tempo para realizar algo que os outros podem fazer por mim? Verdade. Alguém sempre o fará. Aqueles que não aceitam “não” como resposta o farão. Esteja certo disso. Eles vão pagar o preço.

Ao olhar o mecânico, o médico, o professor e o engenheiro fazendo as coisas incríveis que fazem, é preciso lembrar que teve um dia em que eles também não sabiam fazer o que hoje fazem com maestria. Esse era o dia em que o não fazer estava feito, em que o não conseguir estava conseguido e em que o não realizar estava realizado. Porém, eles não aceitaram “não” como resposta. Todos os profissionais que hoje exibem habilidades acima da média quiseram aprender e aprenderam a querer. Empenharam-se, investiram o seu tempo, aplicaram a sua força e afiaram a sua enxada para arrancar a sua mandioca.

Você sabe arrancar a sua mandioca?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *