Até que de repente…

Até que de repente…

De repente, do nada, fica-se sabendo que um amigo se sagra campeão olímpico, que outro conseguiu um emprego sensacional e um terceiro tem uma empresa de sucesso. A maioria das pessoas se espanta. Muitas delas pensam e falam:

Mas que sujeito de sorte. Nasceu com aquilo virado pra lua mesmo!!!

Entretanto, quase nunca as pessoas se lembram que o “de repente” foi construído gradativamente. Como se conquista uma medalha olímpica? Qual o caminho para o trabalho sonhado? O que fazer para construir uma empresa de sucesso?

Aprofundando-se um pouco na história da conquista de uma medalha olímpica, por exemplo, pode-se entender que o “de repente” pode ser dividido em anos de treinamento e dedicação. Esses anos são divididos em meses, em semanas, em dias e em sessões com horas intermináveis de repetições dos mesmos exercícios. O “de repente” que os outros veem não passa de uma rotina diária que leva a pequenos ganhos gradativos. São exercícios para ganho muscular, força e resistência. São outros exercícios para melhorar a técnica. São os estudos para acompanhar a reação do próprio organismo frente aos diferentes tipos de treinos. São as análises para a acertar a regulagem dos equipamentos, em esportes como o remo que usam barcos. É a busca constante de informações sobre novas técnicas e os índices dos outros atletas. Essa rotina somente é sabida por quem se dispõe a percorrê-la. E isso se aplica àquele que conquistou o emprego sensacional e àquele que viabilizou a sua empresa. Podemos falar das competências socioemocionais que são as responsáveis pela excelência das competências técnicas. O atleta precisou de muita resiliência, confiança e determinação para manter o foco naquilo que queria enquanto os seus amigos estavam na mesa de um bar. A pessoa que conquistou o emprego sonhado precisou de muita aprendizagem, flexibilidade mental e espírito de equipe para alcançar a vaga sonhada, enquanto os demais estavam vendo suas séries preferidas. O amigo que “de repente” era um empresário de sucesso desenvolveu muito domínio próprio, competitividade e autonomia para que a empresa pudesse se manter no mercado, enquanto muitos jogavam a culpa nos demais pelos próprios problemas. São todas competências socioemocionais que validam as competências técnicas para ser um exímio atleta, um excelente colaborador e um notável empresário. Nada aconteceu “de repente”. São todos eles exemplos de superação de pessoas que souberam fazer as escolhas. Certamente eles precisaram de ambição e se perguntaram: o que eu quero? Tiveram que exibir energia e se indagaram: quanto vale para mim o que eu quero? Aprofundaram-se no autoconhecimento para descobrir: quem sou eu? As minhas escolhas vão me levar para onde quero ir? Por isso, são poucas as coisas que acontecem “de repente” na vida. Quase tudo acontece gradativamente até que de repente se está diante de uma conquista.

Enfim, sempre que se vê alguém em uma posição de destaque na sua área, antes de acreditar que o sujeito é um cara de sorte, lembre-se: há uma história, um caminho e muito esforço resultado de escolhas individuais que levou a que essas pessoas superassem as dificuldades e alcançassem os seus objetivos. Porém, entenda-se que a superação não é algo extraordinário. A superação é a capacidade de realizar atividades ordinárias que produzem resultados extraordinário “de repente”.

O que aconteceu “de repente” na sua vida?

Moacir Rauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: mjrauber@gmail.com

Home: www.olhemaisumavez.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *