Dívida social

Não pode haver dívida social enquanto não se tiver consciência do cometimento de uma transgressão ou da violação de direitos. Ao cobrar dívidas sociais sobre costumes e tradições de um período em que não vivemos não estamos sendo justos, estamos sendo arrogantes. Com essa iniciativa nos colocamos como melhores do que aqueles que viveram o senso de justiça da sua época. E isso não é verdade! Nós não somos melhores nem piores, somos apenas diferentes. Porém, ao tomarmos consciência de que os nossos costumes violam direitos de outros aí sim a dívida começa. Trata-se de usar informações do passado presentes na nossa herança cultural para corrigir o nosso comportamento atual e deixar um legado com o nosso olhar de justiça.

Desse modo, basta que cada um faça a sua parte agora, pois com certeza o mundo será um pouco melhor hoje. O que cada um está fazendo agora para deixar um legado positivo? Eis a pergunta… E no futuro? Quem viver verá… Quem viver responderá se fomos justos ou não.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *