Tá vazando óleo…

Viagem com contratempo e a sogra no meio…

As chuvas têm castigado muitas cidades da região sul do Brasil nos últimos dias. Algumas rodovias, que em geral não são lá aquelas coisas, também são atingidas por deslizamentos. Numa viagem recente, ficamos presos numa barreira. Estávamos entre os primeiros cem carros parados após o deslizamento. Ficamos sabendo que para dar passagem teríamos que esperar pelo menos seis horas. Resolvemos dar a volta e ir até a cidade mais próxima, onde almoçamos e conversamos com algumas pessoas. Na saída do restaurante nos deparamos com uma viatura da Polícia Militar em que os policiais nos informaram que havia um caminho alternativo, porém teríamos que fazer uns 20km de estrada de chão. Disseram que a estrada tinha partes boas e outras com muitos buracos, mas sem risco de ficarmos atolados. Havia mais uma família que estava na mesma situação. O carro deles estava lotado. Estavam nele um casal, um garoto com uns 12 anos, um bebê de colo e a avó, a sogra do homem do casal. Lá fomos nós pelo atalho… Realmente nos primeiros quilômetros a estrada estava boa, mas depois os buracos e a lama tomaram conta. Foi um rally, porque patinamos, aceleramos, derrapamos e chacoalhamos para valer, mas finalmente chegamos ao asfalto que dava acesso à balsa que completaria o nosso atalho. Uma fila enorme de veículos que aguardavam a sua vez. O motorista do carro, que fez o mesmo trajeto conosco e que levava a sua sogra, aproximou-se da janela do carro. Começamos a conversar com a participação ativa do garoto. Ele até parecia um homem que gostava de puxar papo, mas, impaciente, logo se mandou. Alguns segundos depois o menino grita:

Pai, pai, vem aqui. Olha só, tá vazando óleo…

O pai do garoto empalideceu. Pude ver em seus olhos a tristeza pelos prováveis danos ao seu carro, que tinha aparência de ser novo. Não era de estranhar uma avaria no carro frente a todos os buracos que passamos. Ele rapidamente foi até o garoto. Não pude ver o que ocorreu, mas ouvi o seguinte diálogo:
Onde meu filho, onde?
– Olha ali pai. Tá vindo daquele lado…
– Ah, meu filho, isso não é óleo. Isso é a sua avó…

A sogra não havia conseguido mais esperar por um banheiro… O dia foi tenso e o atalho nos deu trabalho. As seis horas de espera previstas na rodovia se transformaram em dez horas pelo desvio, mas o bom humor resistiu!
Veja que bboa ideia!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *