O e-mail que não respondi…

Foi o último jantar antes de sair do país. Minha esposa Andréia, meu amigo Heinz e sua esposa também Andréia nos divertimos com muita conversa, risos, planos, sonhos e promessas de reencontro. Os reencontros poderiam ser para onde nós nos mudaríamos na manhã seguinte ou mesmo no nosso retorno a Florianópolis. Na saída do restaurante, despedimo-nos. Era meia-noite, chovia fininho e a última imagem que ficou na minha mente do Heinz e da Andréia naquela noite foi dos dois acenando para nós que nos afastávamos de carro. Quase um ano se passou. Nesse tempo trocamos e-mails sobre amenidades e também sobre a programação do reencontro. No final de maio conversamos por Skype para programar um piquenique para o início de setembro, período em que estaríamos de volta a Florianópolis. Lembro-me do entusiamo do Heinz ao falar:
– A gente prepara uma cesta com comidas, bebidas e vamos até a Lagoa do Peri. É um lugar lindo perto daqui de casa!!! Deverá estar bem tranquilo nesse período porque não é temporada… E continuou falando sobre a beleza que seria o dia que passaríamos juntos.
Dias depois, exatamente no dia 01-06-2015, recebi um e-mail do Heinz com o título “O sonho não acabou”. Era um de seus artigos sobre a importância dos sonhos como um recurso para a conquista de objetivos pessoais e profissionais. Pensei em responder logo. Não o fiz. A preguiça tomou conta das minhas atitudes. Deixei para depois. Incrível, não é? Tantas vezes já ouvi e usei a expressão, nunca deixe para depois o que você pode fazer agora. Eu deixei para depois… Agora nunca mais poderei responder o e-mail. Nunca mais poderei dizer que concordo com o artigo que o Heinz escreveu. Nunca mais poderei responder nada porque dois dias depois recebi outro e-mail, não do Heinz, mas de familiares. O e-mail dizia, O Heinz acaba de falecer. Não quis acreditar. Ainda não acredito. O Heinz, com seus cinquenta e dois anos, sofrera um infarto fatal. E os sonhos? Para onde foram? Com o Heinz se foram todos os sonhos, programas de piquenique e todas as possibilidades de confirmar a minha admiração por ele. Nunca mais poderei fazê-lo nas condições que pensei. Fica o registro da minha frustração. Não posso falar pelo Heinz, mas acredito sinceramente que para ele o sonho não acabou. Quem o conheceu sabe do que estou falando, porque ele ficou no seu sonho.
O Heinz, na sua trajetória exitosa como palestrante com reconhecimento nacional pelas centenas de eventos realizados em todos os cantos do país, sempre compartilhava um sonho. Em muitas de suas palestras ele descrevia o que queria com datas e prazos de realização. Conforme os anos passavam, a abordagem se modificava porque o sonho se transformava em realidade. Alguns anos depois ele descrevia como conseguira chegar lá. O Heinz não era somente teoria. Ele era a teoria posta em prática ao confirmar com as ações aquilo que dizia, Atitude é tudo! Ele era atitude porque foi o exemplo vivo de como sonhar, planejar, realizar e viver um sonho. O Heinz sonhou e desfrutou de um sonho construído com esforço, dedicação, amor e o companheirismo sem par de sua esposa Andréia.
O fato de não ter respondido aquele e-mail gera-me uma sensação estranha. Mas essa sensação é minha. Não sei como explicar a sensação. Entretanto, tenho a certeza de que o sonho não acabou, Heinz. Você deve estar planejando, realizando e ensinando a técnica e a arte de transformar sonhos em realidade. Afinal, você ainda está dentro do seu sonho. Nós que ficamos é que não teremos mais a oportunidade de sonhar com você!

 Mensagem do Prof. Heinz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *