Skip to main content


Facetas!


Somos Únicos.
Somos Múltiplos.
By Moacir Rauber

A intolerância é o desrespeito na prática

O assento do corredor do lado direito fora requisitado pelo pessoal de bordo da aeronave, porque um dos assentos destinados à tripulação estava com problemas. Era por força da legislação. Na sequência entra um jovem com seus vinte e poucos anos usando uma tala de proteção na parte inferior da perna, indicando uma lesão não muito grave. Caminhava com cuidado para não apoiar o pé, mas se deslocava bem. O seu número do bilhete indicava o número da poltrona agora destinado ao pessoal de bordo. Uma das comissárias lhe explicou o motivo. El disse, Tudo bem. Posso me sentar na janela? Ela disse:  Você poderia se sentar no assento do meio que sei que está vago? Creio que o assento da janela está ocupado… Ele não respondeu, mas dirigiu-se ao assento na janela. Alguns minutos depois chega a moça do assento da janela, também com seus vinte e poucos anos. Ela mostra o bilhete ao rapaz. Ele apontou para a tala, falou que estava acomodado e que seria difícil para ele se deslocar. Não era verdade. Em seguida o rapaz virou a cara para a janela do avião. A moça ficou momentaneamente sem saber o que fazer. Por fim, resignou-se e se sentou no assento da fileira do meio que não era o seu. O que aconteceu?

Na semana passada relatei o exemplo do avô que viajava para comemorar o seu aniversário de casamento como um exemplo de tolerância na prática.  No mesmo voo, do outro lado do corredor, o que presenciei foi o seu oposto: a intolerância é o desrespeito na prática. Como assim?

O respeito e o desrespeito andam lado a lado. A tolerância e a intolerância da mesma forma.

As normas de convívio e a legislação que a humanidade criou, cria e seguirá criando têm alguns objetivos estabelecidos, entre eles o de regular a coexistência harmônica entre os que compõem a sociedade. Ser tolerante é respeitar tais normas, a legislação e os códigos de conduta, escritos e não escritos.

O rapaz foi tolerante ao respeitar a legislação que estabeleceu a norma de que o seu assento fora requisitado pela tripulação por uma questão operacional. Entretanto, no momento seguinte ele demonstrou como a intolerância e o desrespeito afetam a vida das outras pessoas. Ele não respeitou o direito adquirido da moça que havia comprado o bilhete da janela e foi intolerante ao se vitimizar com a sua condição física. Com isso, ele gerou infortúnio para a moça que se acomodou com a intolerância e o desrespeito do rapaz. Durante o restante do voo pude perceber a tensão entre os dois que permaneceram sentados lado a lado. Numa situação de respeito às normas e de tolerância, o rapaz teria voltado para o seu assento, a moça teria desfrutado do espaço que era dela e eles poderiam ter estabelecido uma amizade.

Esse é o nosso mundo.

O respeito e o desrespeito, assim como a tolerância e intolerância estão presentes no mesmo ambiente e, muitas vezes, se manifestam numa mesma pessoa.

O exemplo entre os dois jovens não tem a intenção de caracterizar um ou outro grupo etário como intolerantes e desrespeitosos.

Encontrar o equilíbrio para ser tolerante sem aceitar ser desrespeitado e aprender a respeitar para não ser intolerante é um desafio real de todos os seres humanos.

Nas organizações a intolerância e o desrespeito devem dar lugar a tolerância e ao respeito para se criar um ambiente de confiança de produtividade e de boas relações.

Enfim,

…não respeitar as regras, as normas e as condutas estabelecidas, estando elas escritas ou não, é ser intolerante com a grande maioria que concordou com o que foi pactuado. O bom senso resgata a tolerância e o respeito.

Moacir Rauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: [email protected]

Home: www.olhemaisumavez.com.br

Moacir Rauber

Moacir Rauber acredita que tem "MUITAS RAZÕES PARA VIVER BEM!" porque "MELANCOLIA NÃO DÁ IBOPE". Também considera que a "DISCIPLINA É A LIBERDADE" que lhe permite fazer escolhas conscientes, levando-o a viver de forma a "QUE POSSA COMPARTILHAR TUDO COM OS PAIS E QUE TENHA ORGULHO DE CONTAR PARA OS FILHOS".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *