Skip to main content

Conhecendo Bamberg – Alemanha

O primeiro dia de aula ninguém esquece…

Chegamos na escola antes das 9h, horário marcado para o início das atividades. Fomos muito bem recebidos e encaminhados para uma sala onde se encontravam todos os novatos da semana. Uns sete ou oito. A Alexandra, diretora da escola, entrou, apresentou a escola, a sua estrutura e a programação da semana. Depois fez com que cada um se apresentasse. No grupo havia pessoal da Itália, Espanha, EUA, Japão e Canadá. Na escola havia alunos da China, da Coréia, do Brasil (Fortaleza), do Equador, da Bélgica, da Inglaterra e de mais alguns países que não me recordo. Na seqüência cada um foi conduzido para a sua respectiva sala, de acordo com o nível de conhecimento do idioma. A aula foi muito legal, principalmente por perceber que entendo muitas palavras e consigo acompanhar razoavelmente um diálogo. A Andréia foi para um grupo mais avançado.

Ao final da aula os estudantes da escola, uns trinta aproximadamente, foram todos juntos almoçar num restaurante típico alemão. Muito saboroso, ainda mais acompanhado por um copo de Rauch Bier, cerveja defumada. Ela tem um paladar forte em que se sobressai o sabor do defumado. Ao final do almoço fomos para casa, tiramos uma “soneca” e depois fizemos tarefas. No final da tarde voltamos à escola para um campeonato de Mau Mau organizado pelas filhas de uma das professoras. Nem a Andréia nem eu ganhamos, mas rimos a valer.

Entre as idas e vindas da escola encontrávamos cenários “horríveis” como os abaixo….

Conhecendo Bamberg – Alemanha

Saímos de Porto e Chegamos a Frankfurt, um aeroporto monumental. O atendimento destinado a nós, em função da minha deficiência, foi idêntico ao de todos os anos e de todas as viagens anteriores. Mesmo estando eu acompanhado pela Andréia, não tendo nenhuma dificuldade em carregar minha mala, uma pessoa do aeroporto nos acompanhou até a área de saída, indicando-nos com toda a simpatia e boa vontade o local onde se encontrava a estação de trem para que nós pudéssemos seguir viagem. Compramos nossas passagens de Frankfurt para Bamberg. Viajamos até Wüsburg onde trocamos de trem. Os locais completamente adaptados a minha situação de cadeirante, assim como um atendimento atencioso, cordial e simpático.
Chegamos em Bamberg e pegamos um táxi para que nos levasse ao apartamento que havíamos alugado na cidade. Ele olhou o endereço e fez uma expressão divertida. Andamos cinco quadras e já estávamos no local. Eu lhe disse, “Realmente muito perto” ao que ele respondeu, “Não faz mal”, porque a corrida custou apenas quatro euros. A recepção pelos proprietários do imóvel foi primorosa. Beijos, abraços e ajuda com as malas e sacolas. Uma visita pelo imóvel, mostrando-nos a cozinha com seus apetrechos, como máquina de lavar louça, cafeteira, fogão, torradeira, louças, toalhas e por fim, “Ah, aqui tem um pouco de café e açúcar para vocês”. Pequenos gestos que valem muito. Depois de uma longa viagem, chegar em casa e poder fazer um café é um privilégio. Seguiram mostrando-nos o quarto de casal, a sala com televisão, computador, internet e livros sobre Bamberg, sobre a Alemanha, cultura em geral e um grande dicionário de alemão. Para nós que estávamos na cidade para estudar o idioma isto era perfeito. Falaram dos principais pontos da cidade e também da programação cultural.

Nós desfizemos as malas e saímos, seguindo um conselho do casal que nos disse haver um show de jazz na cidade. Ao sair do apartamento já pude ver “Braurerei Fässle” ou seja, Cervejaria Fässle, local onde pretendo passar muitas horas nas próximas duas semanas. Mas hoje iríamos passear. Seguimos pela estreita rua ao lado da cervejaria, percebendo o cuidado que se dispensa ao patrimônio público da cidade. Ruas limpinhas, calçadas perfeitas, meios fios rebaixados nas esquinas. Tudo bem sinalizado e organizado.
Cruzamos a ponte e fomos até o Maximum Platz, local onde estava acontecendo festival. Circulamos pelo local, observando as pessoas se entretendo com a música, com as comidas, muitas mesas e cadeiras para manter uma boa conversa, sempre acompanhados pelos canecos de cerveja. Lindo mesmo! Vimos uma barraquinha que dizia “Bratwurscht”, ou Pão com lingüiça típico da Alemanha. Compramos um para cada um, enormes, e comemos.
Depois seguimos nosso passeio, dirigindo-nos para outra praça em que se apresentava outra banda de jazz. Ali paramos e comprei um canecão de cerveja. Depois o segundo. Vontade para tomar o terceiro não faltou, mas seguimos nossa caminhada e cruzamos outra ponte. Nisto se pode perceber que o centro da cidade está numa ilha. Muito mais bonito do que poderia imaginar ao ver as fotos na internet. Visitamos a antiga prefeitura, circulamos pelos cafés e retornamos ao nosso apartamento.

Apto

Cervejaria
Ao levantar pela manhã essa era a minha vista!!!

Resumo do mês de agosto

No mês de agosto foram poucas as publicações, mas justifico. Estivemos por duas semanas num curso intensivo de alemão numa cidadezinha do sul da Alemanha, muitas vezes sem tempo para acessar a internet. Mesmo assim os seguintes textos foram postados no Blog FACETAS! Múltiplas faces de uma mesma pessoa:

Texto em Garrafas!

Ponto de Equilíbrio

Texto em Opinião!

Além dos textos foram postados os seguintes assuntos:

Acesse, leia e comente no Blog e quando quiserem sugerir um assunto ou publicar algum texto enviem-no ao meu e-mail [email protected].
Um abraço

Moacir Rauber