Levanta-te e anda!

Moacir Jorge Rauber
Em outro atendimento hospitalar houve uma situação completamente inusitada. Desde que sou usuário de cadeira de rodas já passei por inúmeras tentativas de milagres, cirurgias espirituais e toda sorte de propostas que me devolveriam a capacidade de caminhar. Na fase inicial pós-acidente algumas tentativas foram voluntárias, induzidas pelo desespero de enfrentar uma realidade completamente estranha e nada encorajadora. Outras foram resultados de ofertas de um sem número de igrejas e seitas que prometem tudo aquilo que o Senhor pode fazer, desde que você tenha fé. Ao final o milagre de voltar a andar não acontece e a culpa fica por conta daquele que tem pouca fé. Neste caso eu, que estaria condenado a usar uma cadeira de rodas porque, afinal, sou um homem de pouca fé.

Uma situação constrangedora, entretanto, ocorreu num ambiente no qual jamais deveria ocorrer. Havia sofrido outro acidente automobilístico, mas de pouca gravidade. De todas as formas fui conduzido a um hospital para exames de verificação para saber se não havia nenhum ferimento interno. Cheguei no hospital na minha cadeira de rodas, acompanhado do meu pai que entrou no gabinete do médico e explicou-lhe a situação. Meu pai disse-lhe que eu era cadeirante há mais de 15 anos e que precisaria fazer os tais exames para desencargo de consciência. O médico chamou-me, apontou para aquela típica maca hospitalar, que é alta para quem está de pé, imagine para está sentado, e ordenou-me: “Suba na maca!” Eu lhe disse que não poderia, porque afinal eu era paraplégico e a maca era muita alta, além do que eu não estava em condições de fazer esforços. Ao que ele respondeu: “Mas levante e suba!” Repeti a informação e encarei um olhar abobalhado de um médico que continuava a não entender o que é um sujeito paraplégico.

Existem muitos médicos que realmente se julgam Deus, porque fazem o diagnóstico em uma consulta por meio de uma simples olhada e prescrevem alguma solução, mas usar uma frase bíblica ainda não havia ouvido.

Por isso, antes de tomar uma decisão e de dar ordens, entenda a situação!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *