Até que de repente…

De repente, do nada, fica-se sabendo que um amigo se sagra campeão olímpico. Outro conseguiu um emprego sensacional. Um terceiro tem uma empresa de sucesso. A maioria das pessoas se espanta e muitas delas até pensam, Mas que sujeito de sorte. Nasceu com aquilo virado pra lua mesmo!!! Entretanto,…
Veja mais:

quase nunca as pessoas se lembram que o “de repente” foi construído gradativamente.

Aprofundando-se um pouco na história de como a pessoa chegou até onde está ou realizou a sua conquista, uma medalha olímpica, por exemplo, pode-se entender que o “de repente” pode ser dividido em anos de treinamento e dedicação. Esses anos são divididos em meses, em semanas, em dias e em sessões com horas intermináveis de repetições dos mesmos exercícios. O “de repente” que os outros veem não passa de uma rotina diária que leva a pequenos ganhos gradativos. São exercícios para ganho muscular, força e resistência. São outros exercícios para melhorar a técnica. São os estudos para acompanhar a reação do próprio organismo frente aos diferentes tipos de treinos. São as análises para a acertar a regulagem dos equipamentos, em esportes como o remo que usam barcos. É a busca constante de informações sobre novas técnicas e os índices dos outros atletas. Essa rotina somente é sabida por quem se dispõe a percorrê-la. E isso se aplica àquele que conquistou o emprego sensacional e àquele que viabilizou a sua empresa. Nada aconteceu “de repente”. Tudo aconteceu gradativamente até que de repente se estava diante de uma conquista.

Por isso, a superação não é extraordinária. A superação é resultado de atividades ordinárias e de uma prática diária que resultam num resultado extraordinário. Isso é a história da superação e é nela que se revela a força do Ser Humano!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *