Arquivo da tag: inteligência positiva

ECOS DA PALAVRA

A INTELIGÊNCIA POSITIVA E A ESPIRITUALIDADE NA COMUNICAÇÃO AFETIVA PARA SER EFETIVO.

“Bem-aventurados aqueles que usam com sabedoria as ferramentas de desempenho vindas do conhecimento.”

ECOS DA PALAVRA!

EU AFETO O MUNDO. O MUNDO ME AFETA.

COM AFETO O MUNDO É MELHOR!

Espiritualidade é a Sabedoria para usar as Ferramentas vindas do Conhecimento com AFETO!

ECOS DA PALAVRA!

TENDO COMO BASE:

Conhecimento: a ciência para organizar e compartilhar teoria e prática

Ferramentas: para operacionalizar a ciência

– Inteligência Positiva para o autoconhecimento.

– Comunicação Não-Violenta para Resultado Efetivos.

Sabedoria: a espiritualidade que permite usar as Ferramentas vindas do Conhecimento com AFETO.

Os participantes vão aprender a usar Ferramentas construídas a partir do Conhecimento com a sabedoria presente na Espiritualidade:

  • encontrar o sentido daquilo que se faz alinhando espiritualidade, conhecimento e sabedoria por meio de ferramentas de desempenho: Inteligência Positiva e Comunicação Não-Violenta.
  • comunicar-se com efetividade diminuindo a tensão nas relações, aumentando a produtividade e o desempenho nos ambientes pessoal e profissional;
  • exibir competências relacionais, como a confiança, a autenticidade e o domínio próprio;
  • mostrar competências de desempenho, como a produtividade, a competitividade, o resultado, a aprendizagem, a excelência, o espírito de equipe e a resiliência;
  • manifestar competências de conduta, como a ética, o propósito, a liberdade, a flexibilidade, a autonomia e o respeito;
  • pausar para distinguir o sábio do sabotador com os passos da CNV ao (1) observar sem julgar; (2) reconhecer as emoções e os sentimentos; (3) identificar as necessidades e os pontos de convergências; (4) fazer pedidos de forma objetiva e direta. 

Para onde o mundo vai? Com ou sem você ele vai…

– Disrupção e exponencialidade

– Revoluções biológicas e tecnológicas

– Forças Motrizes no mundo

– Tendências e megatendências comportamentais e de negócios

– Singularidade: o nome da nova era!

– Onde a Inteligência Positiva, a Espiritualidade e Comunicação Não-Violenta se conectam?

Sábio ou sabotador: qual é a tua escolha?

– Inteligência Positiva e Comunicação Afetiva como estratégias de desemepnho e resultados

– Espiritualidade e transcendência para entender o sentido da vida

– As Bem-Aventuranças: inspiração que conecta conhecimento, sabedoria e ferramentas de desempenho

Conhecimento, ferramentas ou sabedoria?

– Conhecimento: a ciência para organizar e compartilhar teoria e prática

– Ferramentas: para operacionalizar a ciência

                Inteligência Positiva para o autoconhecimento

                Comunicação Não-Violenta para Resultado Efetivos.

            -Ação e intenção para produzir resultados: bem-aventurados os alinhados.

– Sabedoria: a espiritualidade que permite usar as Ferramentas vindas do Conhecimento com AFETO.

O resgate da Espiritualidade a partir da Inteligência Positiva e do uso da Comunicação Não-Violenta tem a pretensão de levar os participantes a alcançar a satisfação pessoal e os resultados esperados por meio do alinhamento da espiritualidade com as competências socioemocionais e técnicas. Para isso é essencial:

PAUSAR para OBSERVAR. O que vejo?

PAUSAR para SENTIR. O que sinto?

PAUSAR para identificar as NECESSIDADES. O que necessito?

PAUSAR para PEDIR. Como e o que peço?

Uma PAUSA para escutar o MESTRE dos MESTRES!

Eu AFETO o mundo. O mundo me AFETA. Com AFETO o mundo é melhor.

A oficina se fundamenta na relação entre o conhecimento (inteligência emocional, psicologia positiva e storytelling reunidas na Inteligência Positiva) e a sabedoria presentes na espiritualidade que possam ser usadas por meio de ferramentas de desempenho. Assim, a Inteligência Positiva e a Comunicação Não-Violenta convergem ativamente para estimular a gestão das competências socioemocionais e técnicas no caminho transcendental humano. Ação e Intenção produzindo resultados!

A oficina foi pensada para pessoas que:

– desejam alinhar a espiritualidade e as competências socioemocionais e técnicas;

– pretendem alinhar as ações e as intenções com os resultados;

– querem alcançar altos patamares de desempenho na carreira;

– dão os primeiros passos para se desenvolver e se destacar profissionalmente;

– buscam qualificação para voltarem ao mercado de trabalho (lifelong learning);

– aspiram potencializar seus projetos e ter mais confiança em si mesmos;

– ambicionam melhorar a sua comunicação para se relacionar melhor com sua equipe;

 Espiritualidade é a Sabedoria para usar as Ferramentas vindas do Conhecimento com AFETO!

ECOS DA PALAVRA!

E-mail: mjrauber@gmail.com

Whatsapp: 48 998578451

Sympla: https://www.sympla.com.br/ecos-da-palavra-inteligencia-positiva-e-espiritualidade-na-comunicacao-afetiva-para-ser-efetivo__1619935

Miriam Moreno crê que é importante incorporar informações ao nosso mundo, porém é visível a necessidade de identificar o que acontece dentro de nós, com nossas emoções, sentimentos e pensamentos para facilita um processo de ajuda. Assim, sente-se motivada e comprometida em difundir a Comunicação Não-Violenta (CNV) por meio de oficinas, grupos de estudo de aprofundamento e de prática para as pessoas que queiram se conectar com as suas qualidades humanas mais profundas, naturalizando-as. Miriam entende que a CNV propõe um nova maneira de escutar, de receber e de dar desde um foco que facilita o encontro com o outro a partir do coração, criando um espaço seguro e livre para reconhecer o que se sente.

Miriam também é Counselor em Logoterapia, Professora de Física e membro ativo na promoção da Comunicação Não-Violenta com formação no IIT Intensive International Training em Comunicação Não-Violenta no Chile e organizadora do IIT Intensive International Training de Buenos Aires. Tem larga formação complementar, como Taller Intensivo Residencial CNV Argentina, “Vacío Existencial y los Vínculos Actuales” – UCA , Taller Jornada de formación de profesionales de la salud: “La Importancia de la Espiritualidad y el Conocimiento en la Atención al Paciente”, além de Diversas jornadas de ECP e focusing.

Miriam é uma aprendiz por natureza.

Moacir Rauber acredita que tem “muitas razões para viver bem!” e que a “Disciplina é a Liberdade” de fazer as escolhas conscientes para “fazer tudo que possa compartilhar com os pais e que tenha orgulho de contar para os filhos”.

Também tem doutorado em Ciências Empresariais e Mestrado em Gestão de Recursos Humanos na Europa e Mestrado em Engenharia de Produção pela UFSC. Tem MBA em Marketing, Pós-Graduação em Teoria do Pensamento Complexo e Certificado Nonviolent Communication International Intensive Training. Tem formação internacional em Coaching Executivo Organizacional reconhecido pela International Coaching Communitty – ICC e pela European Mentoring and Coaching Council – EMCC. Atualmente trabalha como Palestrante e Escritor.

Foi remador da Seleção Brasileira e ainda hoje segue praticando o remo como lazer. Também faz trabalhos voluntários em instituições que desenvolvem projetos de inclusão social.

Autor dos Livros:

  • Olhe mais uma vez! Em cada situação novas oportunidades (2010).
  • Perguntar não ofende… Coaching para o profissional de Secretariado (2013).
  • Superação, a marca do Ser Humano! (2013).
  • Ladrão de si mesmo (2016).
  • No reino de logo ali ao lado (2019).

Mantém o Blog FACETAS! Somos únicos. Somos Múltiplos. (www.facetas.com.br), é colunista de diferentes jornais e revistas na área de Gestão de Recursos Humanos e de Educação.

VOCÊ CUIDA DO SEU CARRO?

Você cuida do seu carro?

Temos um grupo de trabalho de desenvolvimento pessoal que explora a saúde do corpo e do espírito, além de enfatizar a performance e a conexão entre as partes. Os caminhos podem ser diferentes, mas a busca final é a mesma. São reflexões distintas que conduzem aos mesmos dilemas: quem sou eu? Onde estou? De onde vim? Para onde vou e como vou, se é que vou? Qual é o sentido da vida? São perguntas que nos lembram da condição humana de todos e da condição divina que muitos creem. Enfim, propor-se a desenvolver uma fala para quem fala sobre o tema é desafiador. Na primeira intervenção feita pela pessoa que trabalha com saúde do corpo, foi usada uma analogia sobre como cuidamos de um carro, objeto inanimado, na comparação em como descuidamos do corpo, organismo vivo. A analogia foi apreciada por todos, exceto por mim. Tinha uma rejeição a ela. Expressei que não me sentiria bem de usá-la para o programa que atende a Roda da Vida nas suas diferentes áreas. Depois, veio-me a frustração. Por que? Porque havia perdido a oportunidade de exercitar aquilo que digo que ensino quando nos confrontamos com ideias diferentes. O que eu poderia ter feito?

As teorias para tratar das divergências de ideias são muitas. A prática é outra coisa. A psicologia positiva, a inteligência emocional, a inteligência positiva, a comunicação não-violenta e outras abordagens tem ferramentas para aproveitar situações similares. Faz tempo que estudo e trabalho com o tema. Por que então não pude ver a oportunidade? A explicação que daria a partir da Inteligência Positiva é que no momento da minha reação o meu sábio estava sequestrado por um dos meus sabotadores, o controlador. A partir da Comunicação Não-Violenta poderia dizer que a minha manifestação foi a expressão trágica de uma necessidade não atendida. Qual seria a necessidade? Talvez a de coerência, porque mantive o foco no conceito internalizado por mim de que as máquinas são tentativas imperfeitas de reproduzir um organismo quase perfeito, o ser humano. Tranquei-me em meu casulo de segurança das crenças que embotou a minha inteligência e consumiu a sensibilidade nas minhas certezas. Com isso, ao não compreender a ambiguidade daquilo que presenciava perdi a oportunidade de aprender e contribuir. Bastava ter pensado na analogia com a mente aberta e fazer o exercício do “sim… e…”. O exercício consiste em não julgar nenhuma ideia ou proposição, ainda que te pareça infundada, e encontrar nela algum gatilho para sugerir melhorarias. Tivesse eu dito “Sim, o que eu gosto na sua ideia é …” e em seguida “E acrescento …”. Tivesse praticado o não julgamento eu teria percebido que a comparação não era de um ser humano para com um carro inanimado. A analogia ressaltava os cuidados que temos para com um carro, objeto inanimado, e que não temos com o nosso corpo, o organismo vivo, que abriga a nossa mente e o espírito. O carro limpamos regularmente, a nossa mente nem tanto. O carro abastecemos com gasolina boa, o nosso corpo alimentamos com qualquer coisa. Assim seguimos com os descuidos com o nosso corpo ao dormir pouco e nos exercitarmos menos ainda. Talvez seja essa falta de cuidado que faça com que haja tantas pessoas desconectadas daquilo que é essencial. Para evoluir é fundamental conectar-se com o essencial. Segundo a raposa do Pequeno Príncipe, o essencial é invisível aos olhos, assim como o são a mente e o espírito.

Você cuida do seu carro? Creio que a evolução passa pela responsabilidade de não descuidar das máquinas que nos servem, mas priorizando a mente e o espírito. O corpo e as máquinas são o resultado visível daquilo que é invisível, a mente e o espírito. A reconexão com o essencial pede que se veja com o coração para seguir a jornada rumo a um mundo melhor. Trata-se de um movimento circular e complementar entre as diferentes áreas da Roda da Vida. Afinal, ela, a Vida, é integral!

Moacir Rauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: mjrauber@gmail.com

Inicio: www.olhemaisumavez.com.br

SÁBIO OU SABOTADOR?

Sabotador ou sábio?

A discussão foi dura. Feia mesmo. Palavras agressivas foram ditas num momento de desentendimento familiar. A acusação de um colocava a culpa no outro e vice-versa. Para por um fim na discussão o pai falou para a filha:

– Aqui é minha casa e são minhas regras. Se não estiver satisfeita a porta é a serventia da casa.

Silêncio mortal. Depois o choro da filha. O pai pegou a chave do carro e saiu. A filha e a mãe ficaram sem saber o que fazer. A rispidez do tom e as ofensas ainda ecoavam na mente de todos, porque as palavras afetam e magoam. Palavras que afetam sem afeto, doem e machucam a alma e o corpo. Ambientes hostis que afetam sem afeto produzem doenças, dor e morte. Relacionamentos agressivos em que se ressaltam os gritos desencadeiam tremedeiras e desenvolvem comportamentos neuróticos e obsessivos. Como entender que passaria pela cabeça de uma mãe ou de um pai querer o mal da sua filha? Qual a filha que deliberadamente quer ofender o pai ou a mãe? Parte-se da premissa de que as pessoas têm boas intenções, principalmente, para com aquelas que amam. Por que então as ações não correspondem com as intenções? As ciências comportamentais podem explicar, mas para mudar o fenômeno a explicação não basta. No livro Inteligência Positiva (Shirzad Chamine) há uma explilcação bem fundamentada do que ocorre com cada uma das partes quando o confronto de ideias leva a sensação de perigo real para os envolvidos. Isso faz com que a reação comportamental seja de luta, de fuga ou de paralisia. O pai agride verbalmente, é a luta, e depoisa sai de casa, é a fuga. A filha ataca com as palavras, é a luta, e em seguida chora, é a paralisia. Considere que nem pai nem filha são predadores que representariam um pergio real para a existência um do outro, salvo em caso de psicopatia. As ações de ambos se voltam para um modo descrito como de sobrevivência que dá razão ao crítico que alerta para o perigo. Com isso, perde-se a capacidade de despertar em cada um o sábio para ver as possiblidades presentes num confronto de ideias. O livro fala de dez sabotadores, sendo o crítico o articulador principal. Cabe destacar a presença do sábio com seus poderes, muitas vezes refém do crítico. O sábio parte da empatia e avança para exploração da situação, caminhando para a inovação ao criar novas perspectivas frente a uma situação diferente. Isso leva a pessoa a navegar por caminhos alinhados com a sua busca. Por fim, uma circunstância desafiadora conduz o sábio que existe em cada um a ativar ações alinhadas com as intenções. Dimunuir o poder do crítico permite que surja o sábio. É fácil? Não, mas uma pausa para se conectar com a realidade e calar os sabotadores pode dar uma oportunidade a que surja o sábio.

Voltemos para a discussão entre pai e filha. Qual a razão que levou cada um a produzir dor no outro, se no fundo um somente quer o bem do outro? Um afetou o outro sem afeto, mas carregm dentro de si a intenção do AFETO. Os sabotadores internos descritos por Shirzad Chamine explicam, porém as ações dependem de cada um. Depois que a tempestade criada passou, pai e filha se reencontraram. Cada um acalmou a sua dor deixada pelas agressões recebidas e proferidas. As marcas existem. As boas intenções alinhadas com as ações os reaproximaram.  Porém cabe a cada um começar o trabalho de diminuir o poder dos sabotadores para que o sábio possa se sobressair. Nesse processo, a pausa para uma atitude consciente é essencial. Por isso o ditado, “enquanto um burro fala o outro abaixa as orelhas” é tão verdadeiro.

Moacir Rauber

Instagram: @mjrauber

Blog: www.facetas.com.br

E-mail: mjrauber@gmail.com

Home: www.olhemaisumavez.coom.br